Dá para re-costurar bolhas!

Passei estes últimos tempos me preparando para a viagem pra China, se tudo der certo com o visto saímos dia 08 do mês que vem! Rastreei hackerspaces em Shangai e Pequim, outros em lugares dificeis de lembrar, vou dar uma pescoçada por lá nos brothers and sisters.

Tenho feito muitos sites tb, uns 2 por semana na vibe Free (atenção, não freela). Geralmente projetos incríveis, de pessoas incríveis sem grana. (mais…)

Feldenkralizando outras experiências sensíveis

Ah, quanta incerteza em como vibrar microeconomia em nossos mundos bolhas! Há muito conhecimento que pode fluir, que se comprado ou vendido é muito caro e cria escassez, indesejável sempre. Mas se há escassez beleza também, sempre tem como agir para equilibrar em abundância

Há o caminho de nossos encontros-esquema de contribuição consciente, eu não curto a abordagem mal feita do karma no “conceito” mas creio que entendo o que carrega de sentido e respeito muito as tentativas.

Há várias idéias do possível mas a cada momento somente uma realidade, o desafio é alinhar as idéias com ela sem a necessidade de injeção de capital externo para que o fluxo flua na baia. Na prática é que em um curto período de tempo a baia possa gerar renda para quem produz nela. Bem pouca se por acaso for, mas gerada manja? É suspeito que seja moeda forte, entendo pouco de econometrias. (mais…)

Um anagrama para vocês: sagradas ou rasgadas?

Água na medida, com seus ares de sagrada, tem se mostrado cada vez mais como dádiva perdida.

E as políticas públicas locais, regionais e estaduais seguem as eternas cartilhas de não-envolvimento da sociedade na tomada de decisões, todo mundo é sempre público alvo e nunca está em condições de decidir. (mais…)