A Superintendência do Patrimônio da União (SPU), órgão ligado ao Ministério do Planejamento, encaminhou um ofício no dia 16/02/2011 à prefeitura de Salvador pedindo a saída das baianas de acarajé das praias sob a argumentação de que a lei federal de gerenciamento costeiro proíbe a ocupação da faixa de areia na praia para o comércio.

Sacanagem pouca ou bobagem?

Constróem prédios, shopping e uma série de outras quinquilharias urbanas nas orlas e agora alegam que as tiazinhas estavam atrapalhando… como dizia o Hellboy: “conta tudo pro pai, óô!”


0 comentário

Deixe uma resposta