Chamcar Bei, um pequeno povoado do Camboja onde vivem aproximadamente 4 mil pessoas, arrumou uma saída para acabar de vez com o problema de lixo gerado pelas sacolas de plásticos – e de quebra ainda melhorar o nível de vida de sua população. O povoado, aliás, é um dos raros lugares no país que não é ocupado por resíduos, já que tudo pode ser transformado em produtos. Os sacos plásticos, por exemplo, viram bolsas, chapéus e outros acessórios nas mãos dos nativos, que vendem os itens à ONG britânica Funky Junk.

“Pensamos qual era o maior problema da poluição e, sem dúvida, eram as sacolas, já que as pessoas as jogavam para qualquer lado”, conta Sob Misy, que faz parte da organização, que compra 160 quilos de sacolas por mês. Após uma boa lavagem, os sacos viram tiras, que podem gerar gorros, bolsas e cestas – tudo construído em uma pequena oficina que dá o sustento de diversas costureiras.

“Naquela época (quando a fonte de renda ainda era baseada no cultivo do arroz) não tínhamos dinheiro para comer nada de manhã. A terra dava muito pouco”, conta Hein Pove, que hoje ganha até US$ 70 mensais só costurando. “Agora nos preocupamos com o lixo, não só para vender resíduos, mas porque assim as crianças ficam menos doentes”, concluiu.

A seguir, o Greenvana Style ensinará a fazer um novelo de plástico que pode ser utilizado no lugar da lã ou linha para fazer bolsas, chapéus, porta-lata, porta-copos, entre outros produtos de crochê.

VOCÊ VAI PRECISAR DE:
– Sacolas plásticas de supermercado
– Tesoura
– Uma agulha de crochê (pode ser a nº
– Fecho plástico ou botão grande

MODO DE FAZER: Dobre o saco ao meio. Em seguida, dobre novamente mais uma ou duas vezes. Corte as extremidades e descarte essas partes. As tiras cortadas terão forma tubular. Junte duas tiras e as entrelace, fazendo um nó. Depois repita com as outras tiras até formar um grande fio. Enrole formando um novelo de plástico. Agora é só seguir a receita de crochê que desejar. Não sabe, veja o vídeo abaixo para aprendar:


0 comentário

Deixe uma resposta